domingo, 12 de fevereiro de 2012

Homenagem a um amigo ilustre




Amadeu Torres
pseudónimo de Castro Gil

Natural de Vila de Punhe, Viana do Castelo, 1927
Professor Jubilado da Universidade Católica Portuguesa.
Poeta e Ensaista
Autor de uma imensa Obra literária 




Perenidade de Eça de Queiroz

De ordinário os ministros são inteligentes,
Escrevem bem, discursam com puras dicções
E cortesia. São convivas excelentes
E corta-fitas sempre em inaugurações.

Porém, vãs nulidades em resolver crises:
Faltam autoridade e o instinto da polis,
E a experiência de estadistas sem deslizes,
A não ser perfunctória e mal bebida aos goles.

Há muito isso é assim. Política de acaso
E privilégios, expedientes e vaidades.
E governos corruptos que em ângulo raso
Acamarilham pares de incapacidades.

Numa choldra compádrica a correr-lhe a essência,
Pode o País manter a sua independência?!

                * No espólio de Juvenal e noutros)

Sem comentários:

Publicar um comentário