terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Ânsia Selvagem
Aquele olhar de pássaro inquieto
aquela ausência de sons
aquelas mãos caídas sobre a tarde!

Era noite. Não havia sombra.
E eu escrevia algumas letras
disformes e indecifráveis.

E invadimos o silêncio
das nossas bocas ciosas e selvagens.

Já fora de mim, os teus olhos
tomavam outra direcção.


Sem comentários:

Publicar um comentário