quarta-feira, 30 de maio de 2018




AS MANS DA TERRA 



Escoei a noite na leitura dos 36 subtítulos deste livro de que vos falo, com o título central “AS MANS DA TERRA” de autoria de Laura Rey Pasandin, da editorial Toxosoutos, 2ª edição – 2017.
Por esta novela, plena de histórias e memórias que assinalam um tempo não muito afastado, o dos nossos pais e avós, (mas continua algures...) a autora abre-nos a porta de uma narrativa leve e consequente que é, antes de tudo e sobre tudo uma literatura de denúncia à fome, à miséria, às  péssimas condições de vida e de trabalho de todo um povo, embora circunscritas a uma família e, por esta via, um justa homenagem à mulher, como nos diz a autora  no  Epílogo

 ”... as mulleres que viviron na sombra, as mulleres relegadas aos recunchos da nosa história, as mulleres que morren sen ver dignificado e valorado o traballo ao que consagraron a súa vida.

É sabido que as principais características da novela sempre confluíram e encontram suporte nesta trilogia: diálogo, precisão e na densidade. E, nesta linha de conta, Tchekhov atesta que “a novela precisa de causar um efeito singular no leitor: emotividade.” Aliás, bem marcante no correr da leitura.
Falamos de literatura. De uma literatura que assenta numa dinâmica do conhecimento, não só no relacionamento dos personagens, o modo como os veste e lhes dá nome (os mesmos nomes, os mesmos rostos a mesma voz) tendo a mulher como protagonista de uma leitura que nos conduz subtilmente ao prazer do texto, ao encontro e encanto de cada história, o enigma dos sonhos que traduzem a realidade em ondas de apetecida prosa. E, nesta convivência, transporta para a  memória do leitor verdadeiros momentos de engenho e arte no domínio das relações interpessoais, ao arrepio dos fabulosos nomes que   ainda nos são familiares: Manoliño, a Lola, o Xanciño, e por aí fora.
 Não se trata aqui de fantástico nem de imaginário, mas sim de recordações que, através dum cunho tão preciso quanto evidente, nos deixam belíssimas passagens nas imagens que Laura Rey Pasandin quis registar nesta sua obra, mostrando o seu talento de excelente narradora, e por isso, brinda-nos com títulos que a projetam para uma linha de alto nível literário.

Álvaro de Oliveira

Sem comentários:

Publicar um comentário