quarta-feira, 1 de maio de 2013





Maria do Sameiro Barroso
Natural de Braga - 12 Maio de 1951
Poetisa Portuguesa, Médica e Filóloga












Harpa Dionisíaca
(excerto)


Hoje o meu silêncio tem o gosto do trigo e das amoras,
das nuvens e das lâmpadas que se fundem.
Nos oceanos de luz, o abraço do céu acende-se
e, na sombra das trepadeiras vermelhas,
a vida fervilha, num cântico, numa onda marinha,
onde o mar rescende, transcendente e completo,
prenunciando as fábulas, as ilhas verdes,
os universos claros, segredados,

na transparência dos enigmas.
                                     *) Amantes da Neblina

Sem comentários:

Publicar um comentário