quarta-feira, 13 de junho de 2012


Firmino Mendes

nasceu em Ronfe, Guimarães, em 1949.
É professor e poeta
É autor duma considerável obra poética






Um Homen do Mar


As notícias que chegam falam de um homem no caminho.
Pouco se pode dizer sobre um animal que ficou assim,
com os olhos voltados para as linhas verdes do pomar.
Dizem que um temporal lhes trespassou o coração, que
a sombra das árvores lhe tirou a luz das longas viagens.
mesmo assim, nunca se saberá por que morrem os homens.


Ontem, por acaso, caminhei para o mar. Toquei a concha
que, desde sempre, me esperava. Retirei-lhe o sopro das algas,
aquele engano verde que enlouquece os corpos coms sede.


Com os olhos para a madeira do barco que passava, parei e
vi a terra afogada. Um peixe pequeno tinha a graça da manhã.
Mais longe, no outro lado do céu, há uma bolha de poeira:
- um homem que escondeu o tempo para não ser visto.

Sem comentários:

Publicar um comentário