terça-feira, 14 de abril de 2020





Se me perder



Se me perder nos muros do enredo
depois das sombras do anoitecer
se o silêncio tiver a cor do medo
na seara dos teus olhos hei de aparecer

Se me perder em mágoas sem abrigo
por entre labirintos e torpedos
hei de aparecer na seara junto ao trigo
sempre que o pão te abrace pelos dedos.

Se me perder nas ruínas dos rumores
e a noite murmurar que estou em perigo
tardando em minha capa de desejos…

Não entristeças, meu amor, não chores
que hei de ir à seara para brincar contigo
e adormecer no aroma dos teus beijos.

Álvaro de Oliveira





Sem comentários:

Publicar um comentário