segunda-feira, 21 de novembro de 2011






Eugénio Lisboa
Nasceu em Lourenço Marques - 1930
É escritor e crítico literário







O céu que viste não era o céu
de Ptolomeu. Mas diferente
foi a forma de o olhar.
No modo de julgar, teu,
a Terra, astro movente,
demitiu-se de pensar
que era o centro do mudo:
Assim ver, que abalo fundo!

Sem comentários:

Publicar um comentário