segunda-feira, 3 de outubro de 2011

                                   

António Ramos Rosa
Poeta.  Natural de Faro
Nascido a 17 de Outubro de 1924





SUGAI

Conter-te, corpo  liso,
que o vento dê na face,
que os dedos tenham olhos
que a boca sopre: folha.

Abraçar-te sem braços,

ó poço  aberto e liso,
ó olho perfmado,
tapete e alga e prado

Três traços verticais.
Um gesto feito em pele.
Uma certeza de osso.
(sem sombra nem desgosto).

                                                                         

Sem comentários:

Publicar um comentário